Projetos em parceria

DA HISTÓRIA DE VIDA À  ESCOLHA E  PERFORMANCE PROFISSIONAL –  O REPENSAR DA CARREIRA PROFISSIONAL DOS JOVENS DA ASSOCIAÇÃO BANDEIRANTES

OBJETIVOS:

(1)  Desenvolver o Processo de Planejamento da Carreira quanto aos aspectos pessoais, voltados à autoestima e ao autoconhecimento,  como  pilares da formação e do desenvolvimento profissional dos Jovens Aprendizes na Associação Bandeirantes;

(2)  Proporcionar aos Jovens Aprendizes da Associação Bandeirantes, as condições para  análise e aquisição das oportunidades do mercado, oferecidas pelas empresas em que atuam, a fim de identificar o quanto estão voltadas à Gestão uma Carreira Profissional de Sucesso;

(3)  Contribuir com a Capacitação Técnica oferecida pela Associação Bandeirantes para sensibilizá-los e conscientizá-los quanto à relevância da Capacitação Comportamental e Emocional – diferenciais no atual mercado de trabalho, com a vistas à manutenção da sua Empregabilidade.

PÚBLICO ALVO:  Jovens que ingressam ou os participantes, do Programa de Capacitação Profissional da Associação Bandeirantes

DURAÇÃO:  Jovens do Curso Básico =   03 semanas = 12 horas (aos sábados)
Jovens do Curso Específico =  14 semanas  = 56 horas ( 2 a 6 feira turmas específicas)
CARGA HORÁRIA: 04 horas/ semana

FOCO DAS ATIVIDADES:  O ciclo das atividades acontece em torno das seguintes temáticas:

Autoconhecimento / Identificação dos Objetivos da Carreira / Análise das Estratégias de Carreira e Elaboração do Plano de Ação

CUIDANDO DO CUIDADOR – UM TRABALHO DE SUPORTE AOS PROFISSIONAIS ATUANTES NA ASSOCIAÇÃO BANDEIRANTES

OBJETIVOS:

(1)  Promover a reflexão junto aos profissionais quanto ao seu processo de Autoconhecimento e o Gerenciamento das suas Escolhas e da Carreira Profissional ;

(2)  Estimular a atuação profissional sob a ótica do Trabalho em Equipe com destaque ao resgate das Experiências Positivas e de Sucesso que os permitiram o Alcance dos Resultados Organizacionais;

(3) Destacara Missão construída continuamente por meio da formação e do encaminhamento dos Jovens participantes do Programa de Capacitação Profissional;

PÚBLICO ALVO:  Profissionais Administrativos e o Corpo Docente atuantes na Associação Bandeirantes

DURAÇÃO:  02 semanas = 08 horas (aos sábados)

CARGA HORÁRIA: 04 horas/ semana

FOCO DAS ATIVIDADES:  

⦁ Palestra de Abertura –Planejamento & Gestão da Carreira Profissional
⦁ Aplicação de Jogos e Dinâmicas
⦁ Exibição de Filmes (trechos)
⦁ Aplicação e Devolutiva dos Testes de Autoconhecimento
⦁ Proposta da Elaboração do Plano de Ação para Manutenção do Programa Cuidando do Cuidador

REALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ESTÁGIO

A realização dos estágios ocorre sob a orientação da Profa. Dra. Claudiane Reis da Paixão, docente da Universidade Nove de Julho – UNINOVE, desde 2001, nos cursos de Pós Graduação, Graduação, tanto na Modalidade Presencial, como a Distância, nos cursos de Administração,Tecnologia e Psicologia .

Trata-se do Acompanhamento e Supervisão dos alunos do 8, 9 e 10 semestre do curso de Psicologia, na modalidade de Estágio Profissionalizante Clínico (EPC); Estágio Profissionalizante Organizacional (EPO) e Estágio Profissionalizante Institucional (EPI). Todos com os embasamentos teóricos e científicos, no campo de Estudo da Psicologia Cognitiva, Psicologia Positiva e Estratégias Profissionais baseadas nos Processos de Career, Personal and Professional Coaching.

REFERÊNCIAS 

DE ALMEIDA BARROS, Rita Manuela et al. Investigação e prática em psicologia positiva. Psicologia ciência e profissão,   v. 30, n. 2, p. 318-327, 2010.

DOBSON, Deborah; DOBSON, Keith S. A terapia cognitivo-comportamental baseada em evidências. Artmed Editora, 2009.

GIACOMONI, Claudia Hofheinz. Bem-estar subjetivo: em busca da qualidade de vida. Temas em Psicologia, v. 12, n. 1, p. 43-50, 2004.

KNAPP, Paulo; BECK, Aaron T. Fundamentos, modelos conceituais, aplicações e pesquisa da terapia cognitiva Cognitivetherapy: foundations, conceptual models, applications and research. RevBrasPsiquiatr, v. 30, n. Supl II, p. S54-64, 2008.

MARUJO, Helena Águeda et al. Revolução positiva: Psicologia positiva e práticas apreciativas em contextos organizacionais. Comportamento organizacional e gestão, p. 115-136, 2007.

MOREIRA, Márcio Borges; MEDEIROS, Carlos Augusto. Princípios básicos de análise do comportamento. Porto Alegre (RS): Artmed.

NUNES, Patrícia. Psicologia positiva. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Portugal, 2007.

SCORSOLINI-COMIN, F., MANOEL,  A.S.  “Psicologia positiva e os instrumentos de avaliação no contexto brasileiro.” Psicologia: reflexão e crítica 23.3 (2010): 440-448.

YUNES, Maria Angela Mattar. Psicologia positiva e resiliência: o foco no indivíduo e na família. Psicologia em estudo, v. 8, n. 1, p. 80-95, 2003.

Profa. Dra. Claudiane Reis da Paixão – Mini Currículo

Doutora em Administração: Gestão Estratégica de Pessoas e Carreira Profissional, UNINOVE, 2015.
CareerCoach– Sociedade Brasileira de Coaching, 2017
Personaland Professional Coach – Sociedade Brasileira de Coaching, 2007
Mestre em Psicologia Social – Identidade profissional do docente universitário – 2006
Mestre em Administração: A área de Treinamento nos hospitais de S.P. selados peloC.Q.H: Controle de Qualidade Hospitalar – 2001.
Pós Graduadaem Psicologia Organizacional, em 2001.
Pós Graduadaem Formação de Professores do Ensino Superior, 2003.
Psicóloga(Universidade São Marcos), 1992.

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE CARREIRA COM JOVENS E ADOLESCENTES: OUTROS ACHADOS

Narjara Medeiros dos Santos Cavalcanti – graduanda do 5º ano de Psicologia
Profa. Dra. Claudiane Reis da Paixão – orientadora

narjara-medeiros@hotmail.com; claudianereis@uni9.pro.br

INTRODUÇÃO
A adolescência, embora não se consiga determinar seu início e fim precisamente, é um período que transita entre duas fases: saída da infância e início da vida adulta.

Um processo de profundas mudanças físicas, cognitivas e psicossociais (PAPALIA, OLDS, FELDMAN, 2006). Neste sentido, o papel da família como o primeiro grupo no qual o indivíduo faz parte, é de extrema importância na formação, organização da personalidade e no processo de socialização primária.

Por ser considerado um momento significativo de vida, é que instituições, órgãos e empresas, onde ocorre a socialização secundária, investem neste público (GONÇALVES, 2014).

A Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes é uma destas entidades que capacita jovens com ênfase no campo profissional, por meio de várias ações, inclusive voltadas ao desenvolvimento da carreira profissional (ASSOCIAÇÃO
BANDEIRANTES, 2013).

A partir da realização de grupos de reflexão, propiciou-se um intercâmbio de experiências sobre questões que afligem essa idade, como a construção da identidade pessoal e coletiva, as mudanças biopsicossociais e os impasses que enfrentam nas variadas instituições em que circulam, a saber: a
família, a escola, a faculdade e o meio empresarial (OLIVEIRA et. al., 2011).

Todavia, ao empreender estas intervenções, pode-se identificar discursos pessoais, individuais e subjetivos, sendo necessária a amplitude em relação às perspectivas de acolhimento e auxílio no sentido de minimizar o sofrimento e
as distorções cognitivas causados por estes aspectos (MACHADO, 2011).

Desta forma, torna-se relevante dispor de recursos que possibilitem a escuta particular, a fim de proporcionar a validação dos sentimentos, a elaboração de conflitos e a autonomia psíquica.

Uma vez que esses aspectos também influenciam a atuação profissional.

OBJETIVO
A proposta de estágio realizado na Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes esteve focada no Planejamento e Gestão de Careira com jovens e adolescentes com o objetivo de potencializar capacidades, habilidades e atitudes. Bem como, auxiliar no processo de autoconhecimento,
estruturação da autoestima, definição dos objetivos de carreira, identificação das oportunidades do mercado de trabalho e o desenvolvimento pessoal e profissional.

MÉTODO
O presente estudo, descreve a vivência e prática de discentes do curso de psicologia da Universidade Nove de Julho em estágio curricular realizado na Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes, localizada na zona Norte do município de São Paulo (S.P.), no período vespertino de agosto a dezembro de 2017.

Participaram deste trabalho 18 jovens e adolescentes, com idades
entre 16 e 22 anos, de ambos os sexos. Os instrumentos utilizados para levantamento dos dados e posterior análise qualitativa foram: a Técnica do Cartaz, Roda da Vida, Janela de Johari, Dominância Cerebral, Parada no Cotidiano Profissional, Road Map, Técnica dos Números, Teste de Âncora de Carreira de Schein, Jogo dos Quadrados Quebrados, Teste das Dinâmicas
Profissionais, Técnica do Feedback de equipe, Feedback individual e o Ciclo de Aprendizagem Vivencial. As intervenções ocorreram sob a ótica dos pressupostos da TCC – Terapia Cognitiva
Comportamental e abordagem da Psicologia Positiva.

EXPECTATIVA DE RESULTADOS E ANÁLISE
Os resultados alcançados, evidenciaram a importância de se pensar e criar estratégias para responder demandas emocionais efetivamente, intercalando as dimensões privada e coletiva. A TCC – Terapia Cognitiva Comportamental viabiliza o manejo do terapeuta, no que se refere a adaptação de técnicas e ações em diferentes cenários clínicos (MACHADO; OLIVEIRA et. al., 2011).

Os fragmentos relatados a seguir, são de três adolescentes, que incialmente compartilharam suas experiências ao grupo. Entretanto, através do discurso, houve a necessidade de acolhimento individual.
Durante a realização de uma atividade que objetivava a apresentação de cada integrante, L. mencionou o divórcio de seus pais e o quanto sentia o fácil rompimento das relações.

Neste sentido, Prata e Santos (2007), discutem o papel da família enquanto continente das emoções, em que o indivíduo mantém seus primeiros relacionamentos interpessoais significativos. As relações são suportes afetivos para que se atinja a idade adulta em condições físicas e psíquicas saudáveis. A quebra destes afetos, podem ocasionar conflitos significativos. D., a partir de uma dinâmica realizada em pequenos grupos, particularmente falou a
respeito da saída de um dos genitores do lar, ele sentia-se abandonado e que o vínculo importante que tinha, fora dissolvido. Fatos que o estavam prejudicando em suas atividades acadêmicas e laborais.

Referiu o papel de “pai” que desempenhava na vida do irmão mais novo. Eventos imprevisíveis não solucionados, transformam-se em crises que afetam o funcionamento de todos os membros do grupo familiar. Inclui-se o período da adolescência, considerada uma fase do ciclo vital familiar que provoca
intensas transformações relacionais entre pais e filhos (ASSIS, AVANCI, 2004).
Nas discussões posteriores, G. expressou-se referente as dificuldades financeiras que sua família enfrentava há alguns anos e que por esse motivo, já trabalhava. Seus objetivos consistiam em formar-se e atuar na área, para auxiliar na reforma de sua casa. Papalia, Olds e Feldman (2006), comentam a condição socioeconômica familiar e as vantagens e desvantagens do trabalho nessa fase da vida.

Como aspectos positivos, citam: o amadurecimento, a capacidade de relacionar-se com diferentes pessoas, a habilidade de lidar com o dinheiro e a independência. O aspecto negativo implica em que, ao assumirem
responsabilidades adultas, para as quais ainda não estão preparados, podem perder a oportunidade de explorar sua identidade e desenvolver relacionamentos próximos.

A relação familiar é uma área de interesse aos pesquisadores nas últimas décadas. A desestrutura no relacionamento familiar mostrou ser um dos aspectos relevantes que trazem sérias consequências nas emoções de jovens e adolescentes (ASSIS, AVANCI, 2004).

Interferem em todas as áreas que essa população transita, influenciando os
pensamentos, sentimentos e comportamentos. Tais contextos refletem diretamente nos delineamentos da carreira, do desenvolvimento e atuação profissional desses jovens.

Dai a relevância do projeto aqui referenciado e sua ação de escuta junto às atividades e projetos da Associação.
A escuta individual mostrou-se um recurso necessário para o alívio de sofrimentos provindos do âmbito familiar. Na TCC, o papel e a postura do profissional de psicologia são ativos. Deste modo, trabalham-se
as cognições, os sentimentos e as atitudes para auxiliar o enfrentamento de situações de vida difíceis. (MACHADO; OLIVEIRA et. al., 2011).

CONSIDERAÇÕES FINAIS
As práticas em psicologia devem buscar a todo tempo, aprimorar-se e inovar-se a fim de atender às necessidades dos sujeitos. Bem como, possibilitar narrativas de vivência pessoal conflituosa como forma de expressão e alívio das emoções.

Além de uma estratégia importante que preservou a dinâmica grupal. Sendo assim, pensar e ampliar intervenções contribuem no manejo, no percurso e na
finalização de uma ação. Neste caso, voltado às ações do planejamento e gestão da careira profissional, bem como no desenvolvimento e atuação profissional dos jovens e adolescentes da Associação.

PLANEJAMENTO E GESTÃO DE CARREIRA COM JOVENS E ADOLESCENTES: OUTROS ACHADOS
Código do trabalho: 16721
REFERÊNCIAS
ANDRADE, Josemberg M. de, MEIRA, Girlene R. de Jesus Maja, VASCONCELOS, Zandre B. de. O processo de orientação vocacional frente ao século XXI: perspectivas e desafios. Psicol. cienc.
prof., Brasília, v. 22, n. 3, p. 46-53, Set. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932002000300008&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 Ago. 2018.
ASSIS, G. Simone, AVANCI, Q. Joviana. O adolescente e sua família: prismas que constroem o ‘eu’. In: Labirinto de espelhos: formação da auto-estima na infância e na adolescência [online]. Rio de
Janeiro: FIOCRUZ, 2004.
ASSOCIAÇÃO BANDEIRANTES – Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes, 2013. Disponível em: <http://associacaobandeirantes.org.br/>. Acesso em: 16 Ago. 2018.
GONCALVES, Ana Lucia de Alencastro. Aprendizagem profissional: trabalho e desenvolvimento social e econômico. Estud. av., São Paulo , v. 28, n. 81, p. 191-200, Ago. 2014. Disponível em:
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142014000200013&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 Ago. 2018.
MACHADO, S. Simone. Terapia Cognitiva Construtivista: aporte teórico e manejo clínico. In: ANDRETTA, Ilana; OLIVEIRA, S. Margareth. (Orgs.). Manual Prático de Terapia CognitivoComportamental. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 77-92.
OLIVEIRA, S. Margareth. et. al. Terapia Cognitivo-Comportamental em Grupos. In: ANDRETTA, Ilana; OLIVEIRA, S. Margareth. (Orgs.). Manual Prático de Terapia Cognitivo-Comportamental. São
Paulo: Casa do Psicólogo, 2011. p. 439-454.
PAPALIA, Diane E., OLDS, Sally W., & FELDMAN, Ruth D. Desenvolvimento humano. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p.436-474.
PRATTA, Elisângela Maria Machado; SANTOS, Manoel Antonio dos. Família e adolescência: a influência do contexto familiar no desenvolvimento psicológico de seus membros. Psicol. estud., Maringá.
v. 12, n. 2, p. 247-256, Ago. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722007000200005&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 Ago. 2018.

Danielle Costa Vieira, Jéssica Chiarello do Nascimento, Lindiana Silva Costa, graduandas do Curso de Psicologia
Profa. Dra. Claudiane Reis da Paixão – orientadora

claudianereis@uni9.pro.br e niellyvieira@gmail.com
Universidade Nove de Julho – São Paulo – SP – Brasil

INTRODUÇÃO
Este trabalho apresenta a intervenção realizada por estagiárias
de Psicologia na Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes, localizada na Zona Norte da cidade de São Paulo.

O estágio foi realizado semanalmente durante um semestre com intervenções em grupo, cujo tema central foi o Planejamento e a Autogestão da Carreira Profissional, por meio dos seguintes processos: o autoconhecimento; a
definição de objetivos; a identificação das oportunidades no mercado de trabalho e o plano de ação.

Os Jovens inscritos na Associação são pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social e, em alguns casos, sem expectativas com relação às oportunidades de crescimento profissional.

OBJETIVO
O objetivo deste trabalho foi dar suporte emocional em diversas situações que possivelmente enfrentarão tanto no dia a dia pessoal, quanto em um relacionamento profissional; oferecer aos jovens da Instituição a capacidade de analisar oportunidades no mercado de trabalho dentro das empresas em que trabalham; auxiliar os Jovens a aplicar de forma prática os conhecimentos adquiridos para o alcance de objetivos e desenvolvimento profissional e contribuir para o desenvolvimento emocional e profissional de forma
homogênea, auxiliando os jovens a lidar com o clima organizacional.

MÉTODO
Foram realizados 13 encontros, cada um com duração de 04 horas. As intervenções eram realizadas mediante atividades individuais, dinâmicas de grupo e ao final ocorriam as rodas de conversas cujo objetivo principal eram a promoção do autoconhecimento e a geração de insights quanto à performance e o planejamento da carreira profissional.

As atividades desenvolvidas foram: Técnica do Cartaz; Roda da vida, Janela de Johari, Teste de Dominância Cerebral, Teste de Comunicação, Técnica do Cartaz; SWOT, Teste TDP, Teste Âncoras de Carreira do Schein, Jogo dos Quadrados Quebrados, Técnica do Objeto e Road Map. As intervenções
ocorreram sob a ótica dos pressupostos da TCC – Terapia Cognitiva Comportamental e abordagem da Psicologia Positiva.

O grupo era composto por Jovens de ambos os gêneros na faixa etária de 16 a 22 anos e, em sua maioria, foram redirecionados para a primeira experiência profissional na condição de Jovens aprendizes em empresas parceiras com a
Associação Cultural e Desportiva Bandeirantes.

EXPECTATIVA DE RESULTADOS E ANÁLISE

Como resultados e considerações observadas, ao final das intervenções apurou-se as seguintes avaliações, por meio dos depoimentos dos jovens participantes. Destacaram-se: a ampliação de consciência quanto à atuação profissional; o processo de autoconhecimento e das características de
personalidade; as oportunidades de trabalhos que tornaram-se possíveis; a identificação pelos participantes quanto a influência da maneira como seu comportamento afeta o outro; e a identificação com o outro, somado a tomada de posse da sua própria valorização como pessoa.

DISCUSSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS

Durante as reuniões utilizamos rodas de conversa, dinâmicas de grupo, vídeos e jogos com o intuito de provocar nos participantes reflexões e questionamentos sobre suas expectativas e comportamentos propondo que o grupo identificasse soluções para os problemas suscitados.
O trabalho realizado ampliou a percepção de todos os envolvidos quanto a importância do autoconhecimento bem como, a influência do seu comportamento no local de trabalho.

Por fim, os objetivos propostos foram atingidos, incluindo a
melhora no comportamento e no relacionamento interpessoal; o planejamento e a possibilidade de escolherem uma carreira profissional.

Alguns dos jovens participantes planejaram prestar vestibular para o curso de nível superior. Evidenciou-se também a quebra de crenças limitadoras com
relação ao crescimento pessoal e profissional bem como, o empoderamento para enfrentar dificuldades no plano pessoal e, consequentemente profissional.
Os resultados foram evidenciados por meio da efetivação de alguns jovens nas Organizações e Empresas parceiras.

REFERÊNCIAS
Associação Cultura e Desportiva Bandeirantes.Disponível em: <http://www.associacaobandeirantes.org.br/>. Acesso em 06 nov. 2018.
BECK, Judith S. Terapia cognitivo-comportamental.Artmed Editora, 2013.
DE SOUSA, H. FROZZI, D. PATTA Bardagi, M. (2013). Percepção de Adolescentes Aprendizes Sobre a Experiência do Primeiro Emprego. Psicologia Ciência e Profissão, 33, pgs. 918-933.
Disponível em: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=282029760011>. Acessos em 06 nov. 2018.
MARUJO, Helena Águeda et al. Revolução positiva: Psicologia positiva e práticas apreciativas em contextos organizacionais. Comportamento organizacional e gestão, p. 115-136, 2007.
SILVA. R.C.; DUTRA, J.S. Gerações e carreira: a relação entre as percepções sobre carreiras inteligentes e sobre crescimento profi ssional nas organizações. In: ENCONTRO ANUAL DA
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓSGRADUAÇÃOEM ADMINISTRAÇÃO E PESQUISA – EnANPAD, 35., 2011, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: ANPAD, 2011.
WRIGHT JH, BASCO M, THASE ME. Princípios Básicos da Terapia Cognitivo-Comportamental. In: Wright JH, Basco M, Thase ME. Aprendendo a Terapia CognitivoComportamental: Um Guia Ilustrado. Porto Alegre (RS): Artmed; 2008. p. 15-32.